Moradores do Novo Mundo ganham praça de uso compartilhado

19/01/2023
Moradores do Novo Mundo ganham praça de uso compartilhado | AGL Incorporadora

Inauguração da Praça New Urban, construída pela AGL Incorporadora em parceria com a CWB Outdoor, terá plantio simbólico de mudas de espécies nativas, venda de produtos de empreendedores da vizinhança e workshop de adestramento de cães no espaço pet.  

No sábado, dia 28 de janeiro, a AGL e a CWB Outdoor entregam a Praça New Urban, um espaço de uso compartilhado e aberto ao público que fica no terreno vizinho ao empreendimento da incorporadora em construção no bairro Novo Mundo, em Curitiba (PR). O edifício residencial tem como marca a sustentabilidade e é o primeiro de sua categoria em processo de certificação GBC Condomínio da capital, um “selo verde” da construção civil. Na mesma linha, a praça segue os preceitos da governança ambiental e corporativa (ESG) e das cidades inteligentes.

A agenda da inauguração começa às 10h, com a presença dos representantes das empresas parceiras no projeto, futuros moradores do New Urban, clientes AGL e representantes do bairro. Eles farão o plantio simbólico de mudas no espaço que será o berçário das plantas que farão parte do paisagismo das áreas de uso coletivo do edifício.

A praça será aberta ao público no mesmo horário, com a distribuição de algodão doce, pipoca e brindes. Empreendedores do bairro farão a venda de seus produtos nas áreas reservadas para futuras feiras de trocas, orgânicos, artesanato, e outras ações que poderão ser planejadas pela comunidade para o espaço de uso compartilhado. A incorporadora disponibilizará, de forma permanente, dois ombrelones que poderão ser usados em futuros  eventos aos finais de semana.

A programação de inauguração inclui ação de coleta de lixo eletrônico pelo grupo social Tech Girls, que atua na educação de tecnologia da informação e tratamento de resíduos eletrônicos com comunidades femininas em situação de vulnerabilidade social. Também serão expostos acessórios dos projetos BijouxTech e DecorTech, que ensinam mulheres a confeccionar bijuterias e peças de decoração feitas com sucata, como microprocessadores e placas de memória RAM. No período da tarde, será ministrado workshop de adestramento de cães. O curso gratuito, mas com vagas limitadas, será ministrado pela Fox Dog Trainner no “espaço pet” da praça, que tem bebedouro, banco e portão de segurança para os animais de estimação. A inscrição pode ser feita por formulário online, disponível no link (clicar).

 

Sobre a Praça New Urban

Com projeto assinado pela Bloco Base, a Praça do New Urban será um espaço coletivo que tem como objetivo fomentar a convivência e contribuir para a qualidade de vida dos moradores da região. A praça terá paisagismo regenerativo, com jardim de espécies nativas da Mata Atlântica, horta comunitária, bicicletário, espaço pet, área de eventos, com mini arquibancada, espaço para a exposição de produtos dos empreendedores do bairro e portões de acesso.

A ideia foi inspirada por iniciativas de requalificação de espaços ociosos pelo mundo e a tendência de um novo modelo de ocupação dos espaços urbanos com foco no conceito de cidades inteligentes. “O terreno é de propriedade da CWB Outdoor, que cedeu o espaço em parceira, somando esforços para criarmos algo para as pessoas, que valorize o bairro, melhore a qualidade de vida da vizinhança, incentive a convivência no entorno do New Urban, a integração da comunidade e o lazer ao ar livre. É uma contribuição que a gente pode e quer dar para que a cidade seja um lugar melhor para todos”, define o engenheiro civil e sócio da AGL, Luiz Antoniutti.

A mesma visão é compartilhada pelo sócio da CWB Outdoor, Rafael Barth, proprietário da área de quase 300 m2. “Todo aquele espaço apenas para um painel não cumpria a função social do imóvel e, por isso, a parceria com a AGL para a construção da praça aberta ao público surgiu para nós como uma oportunidade. Esperamos que a ação sirva de inspiração para outros proprietários de lotes vagos em Curitiba, criando espaços de convivência convidativos e úteis para as pessoas“, diz.

Com o propósito de oferecer um espaço sustentável e que contribua para a recuperação do equilíbrio natural no ambiente urbano, a AGL buscou a parceria de empresa especializada em paisagismo regenerativo. Responsável pelo projeto, o consultor de sustentabilidade e fundador da Bloco Base, Iago de Oliveira, conta que priorizou a oferta de equipamentos úteis para a comunidade, um ambiente seguro e atrativo para a vizinhança e a seleção de vegetação endêmica e espécies em risco de extinção. “A gente buscou criar um ambiente convidativo, para estimular a ocupação do espaço. A presença das pessoas, além de favorecer a comunidade do ponto de vista da convivência e lazer, resulta em maior segurança para a própria região, atraindo a comunidade para ocupar a praça. Incluímos elementos úteis para a população e idealizamos o uso do espaço também para eventos que possam ser catalisadores do movimento na praça”, descreve.

 

Sobre o paisagismo regenerativo

O jardim da Praça New Urban será um dos destaques do projeto. Com viés de regeneração ambiental, o projeto será feito exclusivamente com espécies nativas. “A seleção considera o bioma de origem, que é Mata Atlântica, e o serviço ecossistêmico, que é a floresta ombrófila mista ou mata com araucária. Assim, as plantas são espécies adaptadas às condições de clima e solo locais. Além de ser um jardim auto gerível, que não precisa de um jardineiro fazendo poda e manutenção a cada 15 dias, o paisagismo regenerativo tem maior durabilidade e uma relação ecossistêmica mais fomentada, que considera a microfauna da região, com seus pássaros, roedores e outros animais” detalha Oliveira.

Entre as espécies vegetais que farão parte do jardim estão a falsa íris, samambaia paulista, banana de macaco, taioba, palmeira de sara e ipê rosa, em estado de extinção. O posicionamento e número de mudas devem seguir as indicações do estudo de incidência solar feito no espaço para garantir exposição adequada das plantas ao sol e também bom sombreamento nas áreas de estar, que serão equipadas com bancos de praça. O estudo foi feito com simulação computacional, que permite calcular até mesmo o número diário de horas de exposição ao sol em cada área de paisagismo da praça.

O projeto de revitalização e ocupação da área onde será construída a Praça do New Urban vai além do terreno. A intervenção inclui também a requalificação das calçadas, que estão degradadas, criando um espaço convidativo para incentivar a caminhada pelo bairro. Para proteger os pedestres da via rápida, o projeto terá maciços vegetais e um espaço generoso e seguro para os pedestres.

Além do jardim, a Praça New Urban terá uma horta comunitária equipada com pia, que deve cumprir o papel de conectar a comunidade e envolver a vizinhança no cultivo de hortaliças e temperos. “Antes de entregar o espaço para a comunidade, faremos o plantio de mudas de baixa manutenção, que podem ser substituídas de acordo com a vontade dos futuros frequentadores. Os canteiros serão permeáveis, para a água chegar ao solo, fazendo uma drenagem natural e a evapotranspiração para conservar o solo úmido”, explica o consultor. O espaço servirá de berçário para algumas espécies a serem usadas no paisagismo do empreendimento New Urban, que tem entrega prevista para junho de 2024.

Outro equipamento de utilidade pública será o espaço pet, que foi planejado para proporcionar uma vivência coletiva da vizinhança com seus animais de estimação. A área, delimitada para que os frequentadores deixem os pets soltos com proteção, terá bancos, lixeira e bebedouro para os bichinhos. Projetada para ser um ambiente flexível, a praça terá duas entradas com portões removíveis para o acesso de veículos, bicicletário e área com bancos de arquibancada, um espaço para eventos.

As obras da Praça New Urban estão em andamento e a inauguração está prevista para segunda quinzena de dezembro. “É um empreendimento privado que beneficia as pessoas ao redor, principalmente através da conexão social. Encontramos, na AGL, a oportunidade de desenvolver algo que impacta a sociedade do muro para fora. Isso é possível em função de três fatores: a boa intenção do empreendedor, a disposição do mesmo de fazer esse pacto com a comunidade e a equipe de projeto capacitada e engajada para fazer algo que represente a diferença para a cidade”, resume Oliveira.

De acordo com o sócio da AGL, o sucesso no uso do espaço pelos futuros moradores e pela vizinhança será o sinal de que o objetivo do projeto foi alcançado. “O que a gente quer é que a comunidade se aproprie da praça, aproveite o espaço e cuide dele. Queremos ver as pessoas tomando sol em um jardim bonito, mexendo na terra, e vivendo numa cidade mais acolhedora. A praça combina com o propósito do próprio empreendimento”, conclui Antoniutti.

 

Sobre o New Urban

Com 84 unidades, de dois e três quartos, o New Urban é o sexto empreendimento da AGL em Curitiba. Com projetos fotovoltaico, de reuso de água, eficiência energética, conforto térmico e acústico, o residencial é o primeiro de sua categoria em processo de certificação GBC Condomínio (Green Building Council) no Paraná.

O empreendimento terá painéis de captação de energia solar instalados no topo do edifício, que vão abastecer parte do consumo de energia nas áreas comuns do condomínio. O projeto luminotécnico inclui sistema de sensores de presença em todas as áreas comuns, opção pelas lâmpadas de LED e projeto arquitetônico que otimiza o aproveitamento da luz natural nas unidades e espaços de uso compartilhado.

O New Urban também adota tecnologias para conforto térmico e acústico, que incluem esquadrias que reduzem a troca de calor e os ruídos, além de manta acústica nos pisos. Além disso, foram executados estudos lumínicos para o empreendimento, visando o melhor aproveitamento da incidência solar em todas as unidades.

Para a economia de água, o edifício conta com sistema de aproveitamento da água da chuva e águas cinzas para reuso nas descargas dos vasos sanitários, irrigação e limpeza das áreas comuns. O projeto também prevê a instalação de central de coleta multi seletiva, para separação aprimorada dos resíduos orgânicos e recicláveis em vidros, metais, papéis, plásticos e lixo eletrônico.

O projeto do New Urban segue os preceitos da gestão construtiva responsável e prevê subsolo único, para remoção de menor quantidade de terra (preservação do solo) e também o uso de materiais construtivos de procedência certificada, que não contêm produtos químicos que possam ser prejudiciais à saúde dos moradores. Além disso, a logística das obras prevê a redução do impacto ambiental com a geração de resíduos da construção civil e a destinação correta dos mesmos.

O New Urban está em construção na rua João Bonat, 93, no bairro Novo Mundo, entre a Antônio Gasparin e a avenida República Argentina. A entrega da obra está prevista para junho de 2024.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar este site, você concorda com tal monitoramento. Conheça nossa Política de Privacidade.