Portaria virtual: tecnologia para mais segurança e comodidade

07/02/2022
Portaria virtual: tecnologia para mais segurança e comodidade | AGL Incorporadora
Os sistemas inteligentes de segurança dos condomínios residenciais, que empregam a tecnologia para oferecer eficiência e economia, mais do nunca são a tendência na construção civil. O que surgiu para reduzir custos e riscos no acesso aos prédios, acabou se revelando também a solução para a restringir o contato entre as pessoas, protegendo moradores e visitantes em tempos de pandemia.   Há alguns anos, a AGL Incorporadora já trabalha com a opção das portarias virtuais. Como parte de sistemas de segurança que incluem câmeras e central de monitoramento 24 horas, esse modelo de acesso aos condomínios é o mais eficiente do mercado. "É uma tendência, que a AGL antecipou, com o apoio de consultorias contratadas na etapa de projetos dos empreendimentos. Se bem instaladas, robustas e integradas a um sistema de vigilância com profissionais treinados, as portarias virtuais ativas eliminam o 'erro humano' e evitam que funcionários fiquem expostos a abordagens de pessoas de má fé, garantindo a segurança de todos", defende o sócio fundador da AGL, Luiz Antoniutti.   Um empreendimento da AGL que tem a portaria virtual ativa é o New Town, no Novo Mundo (confira o case clicando aqui). E o Tokaii, residencial de alto padrão em construção no bairro Água Verde, será entregue com a estrutura para a instalação do sistema, que prevê câmeras integradas com o recurso de vídeo análise, conectadas a um software de controle.   O projeto de segurança do condomínio foi feito em parceria com o consultor de segurança Romildo Diniz, que tem 25 anos de experiência na área. Com uso da metodologia ISO 31.000, ele customizou um tipo de serviço inédito no Paraná, que parte de um estudo de três aspectos: a área de perigo, área de invasão e áreas de controle do empreendimento. "É um conjunto de mecanismos inteligentes de controle de acesso de pessoas e veículos, que impede que o sistema seja burlado", explica o responsável pelo projeto de segurança.

Controle de entrada de moradores e visitantes

Com a portaria virtual ativa, a figura do porteiro na guarita ou hall do edifício deixa de existir. A entrada de moradores, prestadores de serviços e visitantes é feita através de um sistema de protocolo, com operadores treinados para liberar acessos através de biometria, tags, QR codes ou diretamente na central, através das portas automatizadas. Tudo isso, com o acompanhamento remoto através das câmeras de apoio instaladas em todo o percurso do visitante. "A liberação de entradas é feita de forma ágil e segura pela central. No caso de um visitante não cadastrado, o morador informa nome completo e telefone celular do convidado e o código é gerado na hora, para que essa pessoa acesse o condomínio e a torre usando o código", completa Diniz.   O monitoramento de todas as operações, tanto na entrada de pedestres, quanto no acesso às garagens, é feito por profissionais capacitados, que atuam de forma remota. O controle tem o reforço de recursos como a biometria e contato direto por celular cadastrado, sem a necessidade de contato humano. "O que já era a tendência com relação à segurança convencional também passou a ser o ideal de segurança sanitária, com a covid-19. Com a portaria virtual, não há necessidade do trânsito de moradores para liberação de convidados na portaria e nem do contato com funcionários e prestadores de serviços ou entregadores no acesso aos condomínios. É tudo feito de forma remota", conta o sócio da AGL e engenheiro responsável pela obra do Tokaii, Giancarlo Antoniutti.   No caso dos acessos às garagens do Tokaii Residence, um sistema de eclusa de portões impede o avanço de veículos não cadastrados. "Mesmo que um carro entre na primeira área de acesso, aproveitando a abertura do portão acionado pelo primeiro veículo, por exemplo, o segundo portão não abre. E a liberação só pode ser feita com o apoio da central, que consegue, pelo sistema de identificação, avaliar o alerta e impedir a passagem", detalha o engenheiro Giancarlo.  

Tecnologia e longevidade do imóvel

Além da segurança e redução do contato físico no acesso aos edifícios, a portaria virtual também representa economia e valor agregado ao imóvel. Por ser uma solução que usa tecnologia de ponta, o sistema inteligente de segurança dá longevidade ao empreendimento, valorizando o imóvel para uma futura revenda. "Em 10 anos, essa tecnologia ainda não vai ser considerada obsoleta. É um investimento duradouro, que já está embutido no valor do apartamento. E, considerando que o custo de instalação é da AGL, o futuro morador fica apenas com o gasto de manutenção do sistema, que é bem mais baixo do que o da portaria física, com profissionais que trabalham em escalas", conclui o sócio fundador da AGL, Luiz Antoniutti.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar este site, você concorda com tal monitoramento. Conheça nossa Política de Privacidade.