Condomínio do futuro: New Urban é referência em uso da tecnologia e sustentabilidade

07/02/2022
Condomínio do futuro: New Urban é referência em uso da tecnologia e sustentabilidade | AGL Incorporadora
Lançado em 2021 pela AGL Incorporadora, o New Urban representa um importante passo rumo à transformação da construção civil brasileira, cada vez mais pautada pela sustentabilidade ambiental, econômica e social. Embora o uso consciente dos recursos naturais e a eficiência energética e lumínica dos projetos não sejam novidades para a incorporadora, pela primeira vez a AGL deverá ter um empreendimento certificado pelo Green Building Council. O GBC Brasil Condomínio é uma certificação exclusiva para condomínios residenciais sustentáveis, que contribuem para a evolução do setor da Construção Civil com objetivos voltados  ao controle do aquecimento global, melhoria da saúde e bem-estar da população, proteção e restauração dos recursos hídricos e da biodiversidade, além da construção de uma economia verde. Nos empreendimentos já certificados no Brasil, o cumprimento dos parâmetros propostos pelo GBC resultaram em redução média de 40% no consumo de água, 30% no gasto de energia, 35% na emissão de gases de efeito estufa e 65% na geração de resíduos, principalmente das obras.   O primeiro processo de certificação da AGL é também uma marca de pioneirismo da empresa paranaense para a cidade, já que o New Urban é o primeiro residencial padrão standard da capital e do Paraná que busca o selo GBC. A conquista consolida a AGL como a incorporadora de Curitiba especializada em empreendimentos residenciais, de padrão standard e médio, com projetos inteligentes, que aplicam tecnologia de ponta em prol do Meio Ambiente.   De acordo com o sócio da AGL e engenheiro civil, Luiz Antoniutti, a certificação é uma etapa marcante da história da incorporadora. “O selo vai coroar um processo sincero de busca pelo que realmente interessa aos nossos clientes. É o resultado do desenvolvimento de produtos verdadeiramente sustentáveis para eles, e não um movimento pautado apenas pela questão do pioneirismo. A certificação deverá ser o reconhecimento da maturidade da AGL com relação a esse bom caminho que começamos a trilhar no passado, para hoje podermos entregar produtos que sabemos que são realmente ´verdes´, que representam economia e conforto para os futuros moradores, além de respeito à natureza e seu entorno”, diz.  

Gestão construtiva responsável

O projeto do New Urban segue os preceitos da gestão construtiva responsável e prevê subsolo único, para remoção de menor quantidade de terra (preservação do solo) e também o uso de materiais construtivos de procedência certificada, que não contêm produtos químicos que possam ser prejudiciais à saúde dos moradores. Além disso, a logística das obras prevê a redução do impacto ambiental com a geração de resíduos da construção civil e a destinação correta dos mesmos.   O empreendimento também contempla cuidados com a biodiversidade, preservando a vegetação presente no terreno e adotando projeto de paisagismo que prioriza espécies nativas de plantas para os ambientes externos, que demandam menos irrigação e custo de manutenção para o condomínio.  

Orientação de consultoria especializada

Para obter a certificação, a AGL submeteu o projeto do New Urban à Forte Desenvolvimento Sustentável. Segundo o consultor de sustentabilidade da empresa, Eduardo Mattos, o projeto é um dos poucos em andamento no Brasil. O país tem apenas 12 empreendimentos certificados com o selo GBC Condomínio ou um total de 39, se considerados todos que estão em processo de certificação, como é o caso do New Urban.  
“Embora a preocupação com a redução do impacto ambiental das obras e com a oferta de soluções sustentáveis nos empreendimentos não seja algo tão recente na Construção Civil, a certificação ainda é algo incipiente no país. Os projetos que recebem o selo são aqueles que colocam a sustentabilidade como um dos pilares da obra, já na concepção. Isso porque há inúmeras etapas no processo que dependem da clareza na intenção de certificar o empreendimento desde o início”, explica.
  A atuação da consultoria da Forte Desenvolvimento Ambiental no processo de certificação do New Urban segue até a entrega das chaves. Com vistorias quinzenais, para checagem do cumprimento das premissas para a certificação, toda a obra será auditada. “A sustentabilidade está no DNA da AGL e implementar soluções nesse sentido sempre foi uma meta. Mas a certificação é, para nós, uma novidade. Outros empreendimentos da AGL como o New Town e o Tokaii, em construção, também atenderam a uma série de quesitos de sustentabilidade, mas não tivemos preocupação com o selo. São empreendimentos que contaram com consultorias na área e, ao final, mostraram como a sustentabilidade tem importância para as pessoas. Felizmente, também confirmamos, com o sucesso de vendas dos empreendimentos anteriores, que essas soluções agregam valor aos imóveis. No New Urban, esses diferenciais estarão auditados e certificados”, reforça Giancarlo.  
“Os indicadores de desempenho que vão sendo apresentados a cada etapa da obra são a comprovação de que o empreendimento é sustentável e que segue padrões internacionais. Os condomínios certificados têm a sustentabilidade atestada pelo CGC e reconhecida pelos moradores. Tanto é que o índice de vacância nos empreendimentos certificados é sempre menor”, conclui Matheus Forte, consultor e fundador da Forte Ambiental.

Eficiência lumínica e energética

Dentro dos parâmetros avaliados pelo GBC, o projeto do New Urban atende a uma série de itens, com destaque para a orientação de uma arquitetura bioclimática, que considera o estudo lumínico das unidades. Depois do estudo de iluminação feito pela consultoria ambiental, foram feitas alterações que resultaram em um atendimento de iluminação natural nos apartamentos que extrapola em cerca de 50% o que é requerido pela certificação como norma de desempenho.   As mudanças no projeto original do New Urban incluíram até mesmo a alteração de posicionamento de uma prumada (20 unidades com final 04), que, inicialmente tinha apartamentos orientados com a sala à face oeste, “espelhando” as plantas com salas face leste (final 03). “A consultoria gerou até uma quebra de paradigma dentro da nossa empresa, porque, considerando fatores como o posicionamento dos prédios vizinhos, apresentou uma proposta que reposicionou a prumada final 04, resultando em  maior eficiência lumínica, o que nos deixou surpresos. Foi preciso até mesmo ter certa humildade para verificar e compreender os dados que comprovam uma tese diferente do que, para nós incorporadores, é uma regra na construção civil, que é a preferência pelas faces Norte, Leste e Oeste”, conta o engenheiro e sócio da AGL, Giancarlo Antoniutti.   Além do bom aproveitamento da luz natural, a eficiência energética também está presente na escolha de luminárias de LED nas áreas comuns do empreendimento, que serão acionadas por sensores de presença. O projeto inclui, ainda, um sistema fotovoltaico para o New Urban. A AGL fará a instalação, na laje de cobertura, de placas de captação de energia solar a partir das células fotovoltaicas. O sistema tem ligação do tipo “on-grid”, que injeta toda a energia elétrica gerada como fornecimento para a concessionária de energia, no caso a Copel, abatendo parte das despesas do condomínio.

Economia na manutenção do condomínio

As áreas comuns do New Urban também incluem tecnologias empregadas para reduzir o custo de manutenção do condomínio também com água. Sistemas de captação da água da chuva e reuso das águas cinzas devem contribuir para menos gasto e desperdício de água potável. O sistema de reuso vai alimentar regas e limpeza das áreas externas do condomínio e também os vasos sanitários das unidades habitacionais, o que pode gerar redução de até 18% na demanda de água dos apartamentos. A água residual dos chuveiros, lavatórios, tanques e máquinas de lavar roupa das unidades será reaproveitada depois de tratamento com filtros de areia, zeólitas (minerais de estrutura porosa) e carvão, com passagem por reator ultravioleta e aplicação de cloro para finalização.

Central de Coleta Multi Seletiva

A lista de itens voltados à sustentabilidade do New Urban também inclui uma Central de Coleta Multi Seletiva, para separação aprimorada dos resíduos orgânicos e reciclagem direta, a partir de convênio com cooperativa de catadores de material reciclável. Os moradores vão contar com um espaço organizado para a destinação dos diferentes materiais nas lixeiras correspondentes. A separação inclui descarte de metais, plásticos, vidros, papéis, resíduos orgânicos, não recicláveis, lixo eletrônico e resíduos perigosos (medicamentos e materiais perfurocortantes). A proposta, com a inclusão da estação de separação no condomínio, tem cunho educativo e também serve como incentivo para que o condomínio futuramente estabeleça o convênio com associação de coletores, para otimizar a coleta seletiva e envio dos resíduos para uma das usinas de reciclagem da capital.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar este site, você concorda com tal monitoramento. Conheça nossa Política de Privacidade.